quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Corinthians x Flamengo. Choque de nações no caminho do título!!

Nação,

Hoje a noite, no Engenhão, o encontro das duas maiores nações do futebol brasileiro, talvez mundial.

Diria até que das duas únicas verdadeiras torcidas, porque os outros são todos contra. Ou seja, ou se é corinthiano ou anti-corinthiano, e o mesmo serve para os nossos rivais rubro-negros.

Clássico dos milhões, mas que curiosamente se encontraram poucas vezes em decisões. Tivemos a Libertadores desse ano, na fase de oitavas de final,  mas título apenas uma decisão de   super campeão do Brasil, em 1991, com o campeão brasileiro - nós - contra o campeão da copa do brasil - eles, e lógico, deu a gente.

Mas independente disso tivemos vários jogos memoráveis. Quem não se lembra em 1984, com os 4 a 1 num morumbi lotado (naquele tempo a arrogância bambi era menor, e o estádio era de fato de todos), nos colocando na final do brasileirão? Mas a melhor parte foi o placar eletrônico dando tchauzinho e mostrando os horários da ponte aérea.

Em 1989, Copa do Brasil, quando precisávamos reverter a vantagem deles, que haviam vencido por 2 a 0 no Maracanã. Pacaembu lotado, estréia do Neto, que marcou 2 gols, um olímpico, e até os 43 minutos do segundo tempo vencíamos por 4 a 1, classificados, quando um tal de Zico tocou para um tal de Júnior que marcou e fez desabar o Pacaembu.

E nos últimos encontros também tem sido decisivos, mas só que cada um em situação distinta.

Em 2007, num Maracanã com 7 mil Fiéis e 80 mil rubro-negros. Nossa chance derradeira de escapar do rebaixamento, e eles, embalados, depois de uma reação histórica, saindo das últimas colocações e brigando pela Libertadores. Saímos na frente, gol do Dentinho, e calamos o Maracanã. Mas o time era limitado, e, assim como hoje, adorava perder gols feitos. Pagamos caro por não liquidar a partida, e tomamos a virada, num gol do Roger, que por ironia do destino era nosso e estava emprestado, e ali praticamente foi decretado nosso rebaixamento.

No ano passado, um jogo que para nós não valia nada, depois do desmanche e da jogada de toalha já no primeiro turno. E se vencessemos, ajudaríamos dois rivais intragáveis, os chorolados e os bambis. Perdemos,   e eles praticamente garantiram o título naquela partida. Uma derrota normal, afinal, não ganhamos de quase ninguém naquele segundo semestre. Mas a polêmica estava feita.

E agora, novamente um jogo decisivo. Só que dessa vez somos nós que lutamos pelo título, e eles, para ainda fugirem da degola. Se vencermos, assumimos a liderança, jogamos a pressão nos nossos adversários, nos enchemos de moral e confiança e o penta vai se tornar questão de tempo. Se perdermos, a moral vai para o lado deles, alimentando uma possibilidade de Libertadores, e a crise que deu adeus no jogo contra os porquinhos pode retornar de mala e cuia.

Vencer. Esse é o nosso papel, nossa meta, nosso objetivo único. Ir prá cima deles com sangue nos olhos, com a raça corinthiana, e jogar com a inteligência e sangue frio que tem caracterizado nossa equipe ao longo do ano, pelo menos na maior parte dos jogos. E não dar chance para eles "gostarem" do jogo, porque do outro lado tem um técnico que adora esse tipo de situação.

Esperar que Elias e Jucilei joguem o que sabem, e com a vontade que normalmente sobra quando o Mano está assistindo. Quem sabe ele não vai lá, o que seria ótimo, pois tem sido pé quente para nós.

E Ronaldo. Ele pode decidir, como sempre. Já começou, mesmo antes da bola rolar. O simples anúncio de que estará em campo já movimenta o clássico. Luxemburgo já pensa numa forma de não deixá-lo solto, pois sabe que mesmo gordo, numa fração de segundos pode decidir. E a torcida dos caras tá mais preocupada em provocá-lo do que se concentrar em empurrar seu time no jogo. Aliás, nem sei se eles vão, porque o Engenhão não caiu nas graças dos cariocas, e jogo às 22:00 ninguém merece.

A Fiel vai estar lá, fazendo o Timão se sentir em casa, como acontece em qualquer lugar que o time se apresenta.

Vai Corinthians, rumo ao penta.

Valeu!
Flamengo:  Marcelo Lomba, Léo Moura, Welinton, David e Juan; Maldonado, Willians, Kleberson (Correa) e Renato; Diego Maurício e Deivid (Val Baiano). Técnico: Luxemburgo

Corinthians:  Julio Cesar; Alessandro, Chicão, William e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César; Iarley e Ronaldo. Técnico: Tite.

Um comentário:

  1. Palestra Itália leader muore,Palmeiras nato campione.FORZA PALESTRA8 de novembro de 2010 11:50

    Corinthians x Flamengo,choque de naçãoes...HAHAHAHAHAH,seria mais cabivel choque de favelas.Os dois times mais favelados da federação.
    O Corinthians já foi um time paulista,hoje não é mais,porque?A torcida de vocês somente tem nordestinos,paranaenses,mineiros e é claro...FAVELADOS!
    O Corinthians é a vergonha do estado de São Paulo,vocês não representam o povo paulista.Aliás,vocês deveriam tirar a bandeira de SP e o nome "paulista" do escudo e colocar a bandeira da Bahia ou Paraná,e em vez de ser Corinthians Paulista seria SPORT CLUB CORINTHIANS BAHIANO...HAHAHAHAHAH

    Um adeus de um palestrino para os ex-paulistas...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    ResponderExcluir